Follow by Email

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Pensando, Vivendo, Mudando!

O que faz a gente querer mudar?

Tenho pensado nessa pergunta esses dias. 


É engraçado perceber-me pensando,(pensando, pensando...) porque  algumas pessoas me dizem que pensar demais é não viver.  Entendi que para elas viver está totalmente relacionado a fazer alguma coisa o tempo todo. Parar pra pensar é como perder tempo, deixar de viver aquele momento.

Mas como disse o filósofo René Descartes: “Penso, logo existo”. Pensar então é sinal que estamos vivos e atuantes.  Dar-nos tempo pra pensar nos permite tomar decisões mais acertadas, rever nossas posturas, atitudes que às vezes tivemos por toda a vida, mas que hoje percebemos não resultarem naquilo que esperávamos.

Pensar então pode nos fazer mudar.

Não sei pra você, mas pra mim mudar é muito difícil, da mesma forma que pode ser crucial. Hoje é como seu eu percebesse que ao longo dos anos eu fui sendo moldada sem me dar conta de quem eu estava me transformando. Eu não conhecia meu EU.

Nunca me preocupei muito com isso, é verdade, eu admito.

Meu foco era todo voltado pra o que eu queria e não no que eu era.

Não percebia que como eu era, como eu agia, influenciava no que eu queria pra mim.
Claro, eu não me conhecia.

Mas quando perdi o medo de encarar face a face quem eu era, eu desejei mudar muitas coisas em mim, no meu modo de agir e ser.

Além de olhar pra dentro de mim, eu olho também para o que vivi até aqui. Fui percebendo que muitas coisas eu não queria que se repetissem. E elas não se repetiriam se eu agisse de forma diferente.

Então, nos conhecer e olhar pra nossas experiências vividas também podem nos fazer mudar.

E por último, não menos importante, nossa experiência com Deus nos faz mudar.
Olha, tem coisa que só mesmo quando a gente ouve a voz inconfundível de Deus, a gente muda.

Quem já teve o privilégio de ter um encontro assim com Ele, entende o que eu estou dizendo. Se você ainda não teve, desejo que possa viver isso brevemente.

É impressionante como às vezes o que Ele diz é duro, é contra sua vontade, você quer fazer exatamente o contrário, você se encontra todo “bem resolvido”, achando que pode tudo e ai é como se o mundo desabasse.  Ele se revela com um sonoro “NÃO”, te dizendo que o caminho é Ele e que é por este caminho que você deverá seguir

Não, a princípio não soa nada agradável, porque a gente tem nossa vontade, não é mesmo?

Mas eu estava pensando numa parte do testemunho que o Vitor Belfort relatou no vídeo que postei anteriormente, quando ele fala do desaparecimento de sua irmã e da sua busca por respostas. Ele buscou a Deus por respostas. Deus o responde da seguinte maneira: “ Filho, não importa como você está, ou como está sua vida. Sua irmã pertence a mim”.

Não sei o que você pensou ao ouvir isto, mas eu pensei quem mais poderia nos dar uma resposta como esta, em meio à nossa dor e ela nos levar a querer se relacionar mais intimamente com este
Deus, Se Filho e Seu Santo Espírito?

Pra mim ficou claro que  a resposta não é o que nos faz mudar. O que nos muda é o “encontro” que tivemos. Quando há este encontro, nenhuma resposta mais se faz necessária.  Se quem “perdemos” está com Ele, entendemos que está no melhor lugar que poderia.

Ele é suficiente e não precisamos de mais nada, a não ser D´Ele. Por isso deixamos coisas que antes não queríamos deixar, optamos por outras que antes não nos atrairiam, mudamos porque queremos estar com Ele de novo. Mudamos porque entendemos que tudo Ele fez, faz e fará é porque nos ama e porque sim, nós também pertencemos a Ele.

Então, conhecer a Deus, ter um encontro com Ele nos faz mudar.

Se não for porque você não tem pensado como eu, se não for porque você não tem olhado para suas experiências como eu, seja porque você tem desejado Ele, assim como eu.


Abraços,

Nenhum comentário:

Postar um comentário